quinta, 29 novembro 2018 16:50

Cancro do Pulmão: evolução e tratamento

Muitos têm sido os esforços efetuados nos últimos anos para conhecer a Biologia Molecular e o papel do microambiente tumoral no cancro do pulmão, o que já nos permite realizar terapêuticas dirigidas (a mutações, à interação entre o sistema imune e a neoplasia...) e melhorar a qualidade de vida e a sobrevivência do doente. É também de realçar que, para diminuir a morbilidade e mortalidade causada pelo cancro do pulmão, a prevenção e o diagnóstico precoce são essenciais.

 

Publicado em Opinião

Atualmente, um dos grandes desafios enfrentados pelos especialistas é conseguir diagnosticar o cancro do pulmão nas suas fases mais precoces. De acordo com o Dr. Fernando Barata, presidente do Grupo de Estudos do Cancro do Pulmão, este “progride durante anos de forma assintomática. Em cerca de 60% dos doentes o diagnóstico faz-se numa fase avançada, o que condiciona opções terapêuticas mais eficazes com uma consequente redução da sobrevivência”.

 

Publicado em Pessoas & Serviços

De acordo com os dados mais recentes, o cancro do pulmão continua a ser o tumor mais maligno diagnosticado em todo o mundo, representando 11,6% do total de casos, e a principal causa de morte por cancro, o que equivale a 18,4% ao todo. No entanto, a Associação Portuguesa de Luta Contra o Cancro do Pulmão (Pulmonale), a propósito do Mês de Sensibilização, em novembro, assegura que existe ainda em Portugal uma enorme iliteracia por parte da população em geral, o que pode provocar atrasos nos diagnósticos.

 

Publicado em Pessoas & Serviços

A manhã do primeiro dia do 8.º Congresso do Grupo de Estudos do Cancro do Pulmão (GECP), que se encontra a decorrer em Espinho, abriu com uma mesa redonda dedicada ao “Cancro do Pulmão em 2018”. A sessão contou com a moderação do Prof. Doutor Venceslau Hespanhol, presidente da Sociedade Portuguesa de Pneumologia (SPP), e sublinhou que "neste momento assistimos a alguma estabilização do número de casos, embora num valor alto, e verificamos que há boa capacidade de diagnóstico nos múltiplos centros ao longo do país". Assista ao vídeo da entrevista.

Publicado em Pessoas & Serviços

O cancro do pulmão é, atualmente, o tipo de cancro que regista o maior número de novos casos em todo o mundo, sendo igualmente responsável pelo maior número de mortes. Juntamente surgem os cancros da mama e o colorretal, com a maior incidência. A notícia é avançada pela Agência Internacional para a Investigação do Cancro (IARC), órgão da Organização Mundial da Saúde (OMS).

 

Publicado em Pessoas & Serviços

Brigatinib e lorlatinib são os inibidores AKL, de 2.ª e 3.ª geração, que receberam respetivamente accelerator approval e designação breakthrough therapy para o tratamento de carcinoma do pulmão de não pequenas células (CPNPC) ALK mutado. Neste âmbito, o My Pneumologia entrevistou a Dr.ª Encarnação Teixeira, pneumologista do Centro Hospitalar Lisboa Norte (CHLN), Hospital Pulido Valente, que perspetivou sobre as terapêuticas-alvo para doentes com cancro do pulmão ALK+.

Publicado em Entrevistas

A MSD anunciou recentemente que a Comissão Europeia aprovou pembrolizumab em combinação com pemetrexedo e quimioterapia contendo platina (cisplatina ou carboplatina) para o tratamento de primeira linha do cancro do pulmão de células não-pequenas, não-escamoso, metastático (CPCNP) em adultos cujos tumores não expressem mutações EGFR ou ALK.

Publicado em Investigação

O Prof. Doutor Le Thoung Vu ministrou mais uma master class integrada no webinar internacional da OncoDNA, desta vez sobre as “Implicações da imunoterapia no cancro do pulmão”. O pneumologista especializado em Oncologia debateu os beneficios oferecidos pela imunoterapia e imunogramas na luta contra o cancro do pulmão, principalmente em estadios avançados, devido ao seu caráter personalizado.

 

Publicado em Investigação

A próxima reunião da Comissão de Trabalho de Infecciologia Respiratória tem data marcada para o próximo dia 12 de outubro, a decorrer na sede da Sociedade Portuguesa de Pneumologia (SPP), em Lisboa. “Infeção pelo VIH e pulmão: à conversa com pneumologistas” dá o mote ao encontro.

 

Publicado em Pessoas & Serviços

Até 2030, prevê-se que a taxa de mortalidade entre as mulheres causada por cancro do pulmão aumente até 43%, bastante superior ao decréscimo de cerca de 9% no caso de cancro da mama. As conclusões são de um estudo internacional, publicado na revista científica Cancer Research, no último dia 1 de agosto.

 

Publicado em Internacional
Pág. 1 de 9

Login

Newsletter MyPneumologia

Receba a nossa newsletter

PUB

 

Planning

Respi Planning

Com o apoio da SPP

Oxigénio

APOIOS:
.......................

Bristol-Myers SquibbBoehringer IngelheimGSKMSDMylanRocheTakeda